O voto na abstenção…

Abstenção, não é o mesmo que alienação, isso sim, transferência de direitos, nem alheamento, isso sim, indiferença e desinteresse. O austríaco Paul Watzlawick, psicólogo, filólogo, e um dos mais notáveis teóricos da comunicação, além de estudioso do comportamento, afirmou que o comportamento não tem oposto, isto é, não há um …

A incompetência

A incompetência não é uma doença nem uma condição patológica que me mereça qualquer espécie de compaixão ou simpatia. É sim, um estado de estar! De aceitar o mínimo como bom; de nada exigir de si porquanto o prejuízo seja dos outros; um egoísmo assoberbado e uma renúncia à empatia, …

A gente e as pessoas.

Há tempos, a conversar com uma amiga acerca do pobre mundo dos nossos filhos, saiu a um de nós o desabafo: “Cada vez há mais “gente” a criar menos pessoas.” Hoje ocorre-me que se calhar a expressão “consciente colectivo”, está a ser levada demasiado a sério e a ser confundida com …

Mentira

“Mas outra vez a ideia da «mentira» passou, regeladora. E afastou-se dela, (…) num desespero, revoltado contra aquela coisa pequenina e indestrutível que não queria sumir-se, e que se interpunha (…) entre ele e a sua felicidade divina.” – Dizia Eça, nos pensamentos do Carlos da Maia… nos tempos em …

F.J.G.S.

Há um ano que eu não abria o correio interno. O mundo está na mesma. Um ano parece muito tempo e pareceu um ápice. Num ano que todos os dias se completa na data certa, em qualquer data, acontecem muitas coisas, mudam muitas coisas e fica tudo na mesma. O …

A Ciência Explica

O texto abaixo, foi publicado em 24 de Fevereiro de 1958, num anúncio da Quaker State Metals Co. e foi-me apresentado por um amigo, Manuel Veiga, na sua página no Facebook(*). Lá, deixa os seus comentários que, quanto a mim, dispensam outros. “Um homem vivia à beira de uma estrada …

Dedico-vos!

“O grupo” frequentava “o Alcides”, no C.C. da Portela. Não me lembro do nome do café, mas conhecíamo-lo pelo nome do dono e empregado. Eramos cerca de dez ou doze, mas poucas vezes lá estávamos todos, até porque não caberíamos. Íamos lá lanchar depois das aulas; íamos lá à noite …

Os velhos não são trapos!

A caricatura como forma de representação, apareceu em Itália no sec. XVI e era usada como meio de, através do exagero de traços característicos, representar alguém de forma satírica e quase sempre pouco abonatória. Grandes pintores como Monet e Picasso em alguma altura criaram caricaturas e sempre com o mesmo …